Search
  • Isabel Valente

As crianças ajustam-se facilmente... e nós, pais?



Depois de quase um mês em casa, tornou-se comum ver crianças e jovens coladas a diferentes tipos de ecrãs, desta feita, não apenas para jogar ou partilhar algo nas redes sociais, mas também para terem aulas, comunicar com amigos e famílias ou simplesmente fazerem refeições partilhadas no Whatsapp!


Foi estranho e até complicado no início, mas o certo é que, apesar de todas as mudanças do último mês, as nossas crianças sobrevivem, sem deixarem de lado o sorriso, as brincadeiras, as birras ou a curiosidade e a vontade de aprender que tão bem as caracteriza! São hoje diferentes do que eram há um mês atrás? Certamente, mas tal não é necessariamente mau!




Se há um mês atrás eram frequentes as queixas ou as birras enquanto se lamentavam por não poderem ir para a escola (pasme-se!) ou ver os amigos e familiares; agora, mostram-se mais assertivos na maneira como escolhem passar o seu tempo livre, independentemente do que nós, pais, pensamos!


Desde as tardes plenas de criatividade e imaginação na cozinha, até às pinturas ou arrumações dos armários do estilo Marie Kondo depois de assistirem a 1001 vídeos de como organizar roupas, brinquedos ou outros materiais em casa, lá se vão distraíndo enquando descobrem, cheios de entusiasmo que é super cool aprenderem desta forma!



Em tom de ironia!! - Claro está que nós, pais atentos e conscientes (sempre com o objetivo em mente!) procurámos ocupar-lhes o tempo de forma mais produtiva possível - tarefas escolares, desafios (educativos, claro!), puzzles e brincadeiras que esgotaram a nossa paciência, enquanto dávamos quase em malucos com jornadas de teletrabalho, tarefas domésticas, reorganização de espaços, rotinas e gestão da ansiedade que tudo isto nos trouxe!

Passado um mês, descobrimos que fomos loucos ao pensar que tudo se poderia manter da mesma forma; descobrimos que as tantas birras que ouvimos no início, mais não eram do que a recusa das nossas crianças em se tornarem robots (e bem!) com listas de tarefas infindáveis que não os deixavam respirar!


E eis que no meio de tudo isto, olhamos as nossas crianças com um orgulho danado, de quem apenas agora compreendeu que, se queremos criar crianças saudáveis em confinamento, é preciso dar-lhes espaço, tempo e autonomia para que se recriem, experimentem, preparem surpresas para nós pais que "estamos sempre a trabalhar!" É preciso abdicar um pouco do controlo de todo o seu tempo ao longo do dia - tão difícil para nós mães, especialistas do mais alto calibre nesta área!


Não falo de os deixar entregues a si mesmos e à sua sorte, sem horários, rotinas ou regras que os matenham seguros, mas sim, dar-lhes a oportunidade de organizarem o seu tempo da forma que mais lhes aprouver, sem jamais esquecer as suas obrigações!! Complicado? A bit... :)


Deixo aqui algumas dicas para que o possam fazer da melhor forma, criando espaços de convívio, trabalho e espaços zero-zen onde as crianças não terão mais que fazer do que simplesmente existirem livremente:




  1. Sentem-se à mesa com os vossos filhos e uma folha em branco e, dispostos a escutar verdadeiramente!

  2. Expliquem-lhes porque é importante terem rotinas e regras - para os pais conseguirem trabalhar e filhos conseguirem ser alunos e crianças!!

  3. Negoceiem tempos de estudo (1h por manhã e outra à tarde por exemplo) e tarefas domésticas que desempenharão quando pai e mãe o fizerem também. Divirtam-se enquanto o fazem - cantem, riam enquanto e brinquem q.b.!!

  4. Parcelem o vosso trabalho e o deles, pois têm tempos de concentração distintos e compreendam que a paciência os ajudará a ser mais positivos quando a estas rotinas!

  5. Cumpram com as vossas promessas! Se combinaram jogar à bola, façam-no... à hora marcada! Os miúdos são justos "ao milímetro" e se por qualquer razão não o conseguirem fazer, expliquem-lhes claramente!


Finalmente, coloquem em horário tempos livres (eu sei, parece ridículo!), para eles e para vocês... como costumamos dizer cá por casa, tempo de "cafoné" só porque sim e permitam-se aproveitar os vossos filhos como jamais pensaram fazê-lo!!


Sugiro longas conversas à varanda com chá ou limonada à mistura enquanto contemplam a paisagem, a partilha de músicas "do nosso tempo"... vão adorar ou odiar, mas certamente que nos ficarão a conhecer melhor, enquanto alargam a sua cultura musical!! Deixem também que vos ensinem a jogar Brawl Stars ou xadrez! Não garanto porém que vos ensinem a ganhar, mas posso garantir que se sentirão mais conectados que nunca!!


Sejam humanos, honestos e acima de tudo... aproveitem o que de melhor este tempo nos trouxe - a oportunidade de estarmos com as nossas crianças enquanto nos redescobrimos enquanto pais!!




Tudo isto, porque ao contrário das nossas crianças que, por entre birras, tarefas e brincadeiras já se acostumaram a esta nova realidade; nós, pais, precisamos de mais tempo para nos ajustarmos!! Curioso, não?


Isabel Valente,

Mãe, professora e mestre em Educação











178 views0 comments