Search
  • Isabel Valente

O que eles aprendem quando estão em casa!

Updated: Apr 26, 2020

Não, não me refiro ao conteúdos aprendidos nas aulas online ou no TDT! Falo de muitas outras coisas que, face ao panorama do confinamento social obrigatório, as nossas crianças e adolescentes ganham (e muito!) ao ficarem em casa.



Com efeito, independentemente da ansiedade e medos que habitam por estes dias as mentes de pequenos e graúdos, é inegável as oportunidades únicas que temos de, enquanto pais e trabalhadores, orientarmos os nossos filhos para que aprendam por exemplo, que uma casa dá trabalho; que a roupa não se lava ou arruma sozinha; que as refeições não surgem como por magia à mesa e que, a louça não se lava ou seca sozinha!

E eis que no meio das novas rotinas, por vezes impiedosas por causa de horários de aulas, jornadas de teletrabalho e afins, ensinamos às nossas crianças o valor da organização, da autonomia, da planificação e, sobretudo, da distribuição de tarefas.


"- Mãe, pai, como é que conseguem trabalhar o dia todo, cozinhar e arrumar tudo isto, sem estarem cansados?"


A verdade é que também nós estamos cansados, mas também adoramos estar numa casa limpa, arrumada e organizada, como se também isso nos arrumasse a alma e a mente (muito mais do que estamos dispostos a admitir!)



De repente, algumas das rotina que os pais "têm a mania de impor" (palavras deles há umas semanas atrás!) começam a fazer sentido, por exemplo:


  • o fazer as camas e abrir as janelas dos quartos para arejar;

  • colocar a roupa do avesso no cesto de roupa e separá-la em roupa clara ou escura sem consequências nefastas para nenhumas das peças envolvidas;

  • a "destruição dos fortes", construções de legos, pinturas e afins porque os brinquedos também precisam dormir arrumados;

  • a lavagem da loiça e utensílios de cozinha após experiências (sempre bem sucedidas!) na cozinha;

  • a distribuição de tarefas de arrumação, limpeza e organização, onde todos cumprem com a sua responsabilidade em simultâneo.


Sei que parece regime militar, mas o certo é que, ao fim de algumas semanas, tudo se torna automático e, pasme-se, eles vão muito além do que lhes é pedido, tomando a iniciativa e a dianteira quando se apercebem, sem nada nos dizerem, que o dia correu menos bem!



Cá por casa temos sido presenteados com algumas refeições confecionadas pelos nossos filhos que em equipa mais harmoniosa (ou não!) nos surpreendem! Desde as famosas omeletes, à massa com legumes e atum (sempre à mão) ou peixe grelhado no forno que demorou muito mais do que suposto, pois estavam com medo de o queimar!


Garanto-vos que depois deste episódio, foram eles que exigiram que lhes ensinássemos a usar o forno... porque "chefes de renome" não podem fazer os clientes esperar diziam eles!


E tudo é delicioso, porque fazem questão de provar antes de servir para evitar surpresas desagradáveis e porque também eles têm um brio enorme no que fazem, consultando na internet como fazer, ajustando aos ingredientes que têm e as quantidades necessárias ao número de pessoas cá em casa. - aprendem a planificar, a adaptar-se e a serem criativos!



Por outro lado, aprendem que, se juntarem demasiado detergente á água com a qual irão limpar o chão, demorarão o triplo do tempo a limpar e secar (para além de uma ou outra escorregadela sem consequências de maior) ou, se aldrabarem na loiça terão de a lavar novamente antes de a poder usar de novo, aprendendo claramente com os erros!


Aprendem enquanto fazem tudo isto? Crescem mais autónomos e seguros? Sim e sim! Mas, mais do que isso, compreendem que a casa também é deles e todas as regras e rotinas (outrora impostas) fazem sentido e são, acima de tudo necessárias!


Confesso que estas experiências e aprendizagens nos têm conectado como nunca enquanto família, ao ponto de nos sentirmos verdadeiramente privilegiados de passar todo este tempo juntos.



Não julguem porém que tudo é um mar de rosas. Não é! E sim, existem momentos em que também nós adultos parecemos fazer birra... mas até isso eles aprendem a respeitar - o nosso tempo!!


Serão estas aprendizagens menos importantes do que as que a escola lhes proporciona? Não creio! Serão avaliadas em exame nacional? De todo!! Farão parte do seu currículo? Duvido!

Serão importantes para a sua vida, autocuidado e relacionamento com os outros?

Muito!!


Tenhamos pois a coragem e a consciência de aproveitar a oportunidade que este isolamento social nos trouxe de sermos melhores pais e, sobretudo, mais presentes!


Isabel Valente,

Mãe, professora e mestre em Educação

92 views0 comments