Search
  • Isabel Valente

O que os adolescentes nos ensinam... confinados!!


Ainda que estejamos já em situação transitória de "desconfinamento", o certo é que as nossas crianças e adolescentes continuam ainda a ver a sua vida escolar, social e, por vezes até emocional, refém e prisioneira das circunstâncias a que o novo COVID-19 nos obrigou!!



Assim, se por um lado nos parecem fazer tudo online com relativa facilidade - as aulas, as tarefas, os vídeos e os jogos; por outro lado, mostram-se ávidos da proximidade e toque humano, do olhar nos olhos ou de se encostarem meio encolhidos a uma qualquer superfície sem serem assolados pela ameaça deste novo coronavírus.


O caricato de tudo isto é que nós, adultos, aprendemos (finalmente!) a usar efetivamente os recursos digitais em nosso favor, enquanto que os nossos adolescentes se mostram mais ávidos do que nunca do contacto humano!!Irónico, certo?

Talvez!!

O certo é que independentemente desta nova realidade, a grande maioria tem-se mantido responsavelmente em casa, sentindo que o seu dever é contribuir ativamente para que o surto cesse, em Portugal e no mundo. E, se no início muitos se mostraram receosos e aborrecidos, a grande maioria evoluiu para um sentimento de preocupação pelo bem-estar comunitário que me surpreende, enquanto mãe e professora, não de forma passiva ou resignada, mas de uma forma consciente e muito positiva.


Há dias enquanto orientava um intercâmbio com alunos de diferentes países, foi surpreendida ao constatar que, ao contrário do que julgava, as suas questões e curiosidades uns para com os outros, não se resumiram ao típico - "How are you dealing with the quarantine?", mas sim, - "What do you do in your free time?" ou "What do you know about my country?".


Sem querer assumir-me como "cota" chocou-me a facilidade com que aceitaram esta nova realidade e a sua recusa em se assumirem como vítimas. Um deles disse mesmo - "Life goes on and I'm not sure if it is worse or better than before!"


Achei a tirada deveras brilhante de tão simples que era!! As nossas crianças e adolescentes não se demoram nas queixas, mas sabem o que querem. Continuam curiosos como antes, alegres em descobrir novas realidades e novos mundos, mostrando-se mais RESILIENTES do que alguma vez ousaram ser!! Acima de tudo, mostrando-se crentes num futuro diferente, mais preocupado com a higiene e saúde, mas nem por isso menos feliz!


Confesso que vesti a carapuça na hora!! Senti que estava na hora de aceitarmos esta nova realidade, ficando mais disponíveis para usarmos de todos os nossos recursos, imaginação e criatividade para continuarmos a trabalhar, mas fazendo tudo de modo diferente, mais eficaz e, remotamente!



Por isso, desafio-vos a responderem a qualquer pessoa que vos diga - "Esta juventude está perdida!" - "Aprendamos antes com eles a olhar o mundo com vontade de ir mais além e vencer novos desafios... pois essa é inegavelmente, a verdadeira essência do ser humano!!"


Isabel Valente.

Mãe, professora e mestre em Educação

163 views0 comments